Paris, 28 jul (EFE).- A França reiterou hoje que não é aceitável no estado atual o projeto de acordo negociado na Organização Mundial do Comércio (OMC), e que a União Européia (UE) deve defender seus interesses com vigilância e sem ingenuidade, em particular frente aos países emergentes.

Em declaração do Conselho de Ministros, o Governo francês ressaltou que "o projeto atualmente em cima da mesa não é aceitável, por enquanto, na medida em que não comporta nenhum avanço sobre elementos essenciais".

O Executivo francês se referia, "em particular, à proteção das indicações geográficas de procedência e à defesa dos interesses europeus frente aos grandes países emergentes".

O Conselho de Ministros afirmou que a França quer "a promoção do desenvolvimento, principalmente dos países mais pobres", que é o objetivo da Rodada de Doha, diante da busca em concluir as que acontecem em Genebra.

No entanto, em seguida, afirmou que, embora a Europa deva ter um papel de "motor" nesta linha, "devia também garantir a proteção dos interesses europeus com vigilância e sem ingenuidade, em particular frente aos países emergentes".

A advertência aos negociadores da Comissão Européia ocorre depois da lançada na semana passada pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, que tinha advertido que não assinaria o texto que tinha sido negociado, o que aumentou a tensão com o comissário do Comércio da UE, Peter Mandelson.

Dentro das conversas de Genebra, a União Européia e os países da América Latina chegaram a um acordo bilateral para reduzir a tarifa aplicada às importações de banana ao mercado europeu, que, para os latino-americanos, representa o fechamento histórico de uma disputa que durou mais de 15 anos. EFE ac/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.