plano de relançamento contra a crise apresentado na quinta-feira, que prevê a injeção na economia de 26 bilhões de euros." /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

França espera criação de 100 mil empregos com plano contra a crise

Paris - A ministra da Economia francesa, Christine Lagarde, disse nesta sexta-feira que espera a criação de cerca de 100 mil empregos, graças ao http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/12/04/sarkozy_lanca_plano_de_26_bilhoes_de_euros_para_sair_da_crise_3105108.htmlplano de relançamento contra a crise apresentado na quinta-feira, que prevê a injeção na economia de 26 bilhões de euros.

EFE |

 

Lagarde, que disse que o número é uma "estimativa", explicou em entrevista à emissora de rádio "RTL" que o dado saiu dos cálculos feitos por seus serviços a partir do plano detalhado ontem pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, "categoria de medidas a categoria de medidas".

A ministra de Economia destacou a isenção de cotações patronais em 2009 para empresas com menos de dez trabalhadores assalariados, porque "é uma medida de incitação nas quais são retirados 14 pontos de encargos sociais".

A efetividade do plano "vai depender um pouco de sua determinação", acrescentou.

Em outra entrevista publicada hoje pelo jornal "Le Figaro", Lagarde lembrou que as últimas previsões oficiais até o anúncio do programa indicavam a eliminação de 90 mil empregos na França no próximo ano, e que as perspectivas tinham obscurecido ainda mais desde que a elaboração desses prognósticos.

"Esperamos poder evitar essas eliminações de empregos e conseguir um balanço equilibrado entre criações e supressões em todo o ano", graças ao plano, disse.

Lagarde enfatizou que a relação entre os 26 bilhões de euros que serão injetados e os empregos que esperam criar é equivalente à do plano de relançamento anunciado nos Estados Unidos pela Administração do presidente eleito Barack Obama.

O primeiro-ministro da França, François Fillon, anunciará esta tarde o ministro que ficará responsável por dirigir o programa francês, cujo eixo principal são 10,5 bilhões de euros suplementares de investimento público nos dois próximos anos. Lagarde antecipou que ela não ficará a cargo do plano.

Leia também

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: emprego

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG