O primeiro-ministro francês, François Fillon, anunciou nesta segunda-feira medidas de estímulo à economia, com um plano de apoio de 5 bilhões de euros para as coletividades locais e o compromisso dos bancos de aumentar a concessão de créditos de 3% a 4%.

Os bancos franceses acabam de ser beneficiados com um plano de apoio que prevê uma garantia do Estado "no montante máximo de 360 bilhões de euros", como parte das decisões européias em favor do setor, afirmou Fillon.

"As instituições financeiras se comprometem a conceder uma atenção particular às condições de concessão de créditos a particulares e com o acesso das chamadas PME (pequenas e médias empresas) ao dinheiro, em particular para apoiar sua situação de caixa", precisou.

A ministra da Economia, Christine Lagarde, classificou de "histórico" o plano já aprovado na Assembléia Nacional francesa, que não terá "qualquer incidência direta sobre o orçamento", segundo seu colega Eric Woerth, responsável por essa pasta.

Lagarde havia resumido o espírito do plano dessa forma: "apoiar a economia pelo financiamento das instituições de crédito".

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.