O presidente mundial da Ford, Alan Mulally, informou ontem que a empresa investirá mais R$ 500 milhões nas fábricas do Brasil até 2015. No fim do ano passado, a companhia já tinha anunciado investimentos de R$ 4 bilhões para o período.

O presidente mundial da Ford, Alan Mulally, informou ontem que a empresa investirá mais R$ 500 milhões nas fábricas do Brasil até 2015. No fim do ano passado, a companhia já tinha anunciado investimentos de R$ 4 bilhões para o período. Em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os executivos da montadora disseram que engenheiros brasileiros vão projetar a nova geração do utilitário-esportivo EcoSport, que será vendida no mercado internacional. Após a audiência, Mulally disse que a empresa pretende transformar os veículos da linha EcoSport, produzidos na unidade de Camaçari, na Bahia, em "produtos globais", que poderão ser fabricados em cinco países. "Estamos aumentando os investimentos da Ford no Brasil não apenas para atender o mercado interno, como também os consumidores de fora", disse Mulally. O executivo estimou que os investimentos vão gerar mais mil novos postos de trabalho em Camaçari e também na fábrica de motores em Taubaté (SP). Os veículos projetados no Brasil serão produzidos em cinco países, ainda não definidos. O alvo da empresa é o mercado latino-americano. A capacidade de produção da unidade baiana passará de 250 mil para 300 mil veículos por ano. Otimismo. Mulally disse que há três fatores para o otimismo da empresa e que justificam o aumento da previsão de investimentos. Ele citou o aumento nas vendas no Brasil, uma expansão da Ford no mercado interno e o crescimento da economia brasileira. A uma pergunta sobre o processo eleitoral, disse que não vê "riscos" nos negócios no País. "Operamos aqui há 90 anos. Estamos confiantes que as lideranças do Brasil estão focadas no desenvolvimento econômico." Na quarta-feira, a Ford havia anunciado investimento de US$ 250 milhões na Argentina. Segundo Mulally, ainda serão anunciados novos planos para Índia e China. Neste ano, a Ford pretende investir cerca de US$ 5 bilhões em suas fábricas em todo o mundo. Para o futuro, o executivo estima que os investimentos serão focados no desenvolvimento de veículos elétricos, na melhora da aerodinâmica dos carros, na capacidade de operação com etanol e outros combustíveis alternativos e no aperfeiçoamento da tecnologia flex. O diretor de Relações Governamentais da Ford na América do Sul, Rogélio Golfarb, disse que o montante de investimentos virá de recursos próprios da empresa mas nada impede, segundo ele, que se busque depois recursos do Banco Nacional de desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O presidente da Ford do Brasil, Marcos de Oliveira, disse que, atualmente, a maior parte dos recursos gerados no País não é remetida para a matriz, nos Estados Unidos, mas reinvestida localmente. Também participou ontem do encontro do presidente Lula com os dirigentes da Ford o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.