Tamanho do texto

O construtor automobilístico Ford anunciou nesta quinta-feira medidas de reestruturação para enfrentar a degradação do mercado americano, ao mesmo tempo em que um prejuízo de US$ 8,7 bilhões para o segundo trimestre, maior que o esperado pelos mercados.

A Ford indicou que estas medidas vêm acompanhadas de uma nova série de demissões, antecipando que já está pronto para reduzir o número de assalariados em 15% até 1º de agosto.

O anúncio de uma intensificação dos esforços de reestruturação do grupo vinha sendo aguardado pelo mercado havia vários dias.

Nos três meses em questão, a Ford registrou perda de US$ 8,7 bilhões, contra um lucro de US$ 750 milhões no segundo trimestre de 2007.

Os resultados foram agravados por US$ 8 bilhões, antes de impostos sobre encargos, ligados essencialmente à desvalorização do valor dos ativos da empresa na América do Norte, segundo um outro comunicado.

Por ação, esta perda foi de US$ 3,88. Fora os elementos extras, a Ford perdeu US$ 1 bilhão, ou seja US$ 0,64 por ação. O mercado, que divulga suas previsões sem considerar os elementos extras, esperava uma perda bem menos, da ordem de US$ 0,27.

O faturamento recuou 12% em um ano, ficando em US$ 38,6 bilhões. Mas esta soma é superior aos US$ 34,6 bilhões previstos pelo mercado.

aa/lm