O construtor americano Ford, deficitário há três anos, obteve no terceiro trimestre deste ano lucro líquido de 997 milhões de dólares e um resultado operacional de 1,1 bilhão - seu primeiro superávit desde o começo de 2008.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577740194&_c_=MiGComponente_C

No terceiro trimestre do ano passado, o grupo havia registrado perda de 161 milhões de dólares, segundo comunicado da empresa.

Os resultados anunciados nesta segunda-feira são muito superiores às expectativas do mercado, que antecipava uma perda líquida de 12 centavos por ação. A Ford registrou, na realidade, um lucro de 26 centavos por ação.

É "um pequeno milagre" para a única montadora americana que se salvou da quebra este ano, considerou o analista Douglas McIntyre no site 247WallSt.com. "Ninguém acreditava que a Ford pudesse ganhar dinheiro na América do Norte, exceto a própria Ford", afirmou.

Foi justamente na América do Norte, que a Ford registrou um resultado operacional sem os impostos de 357 milhões de dólares - o primeiro resultado positivo desde o primeiro trimestre de 2005.

Os bons resultados devem-se a uma melhora das vendas, em particular nos Estados Unidos, assim como a uma importante redução dos custos. Esta redução foi de um bilhão de dólares para totalizar 4,6 bilhões nos nove primeiros meses do ano. A cifra é superior aos objetivos do grupo (4 bilhões de dólares).

O volume de negócios foi, no terceiro trimestre, de 30,9 bilhões de dólares. As cifras foram impulsionadas, em parte, devido às reduções de postos de trabalho mas, também, graças a uma popular medida do governo de estímulo às vendas: um programa de financiaciamento de impostos, em vigor em julho e agosto.

Em seu comunicado, a Ford diz esperar a volta de uma "sólida rentabilidade", se não aparecerem elementos excepcionais, em 2011. O grupo registrou, também, lucros em seus negócios na América do Sul, Europa, Ásia Pacífico e África.

Leia mais sobre: Ford

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.