SÃO PAULO - A Ford Motor perdeu US$ 8,7 bilhões em uma base líquida no segundo trimestre, ou US$ 3,88 por ação, incluindo itens extraordinários antes de impostos de US$ 8 bilhões. Em período correspondente de 2007, a montadora obteve lucro líquido de US$ 750 milhões, ou US$ 0,31 o papel. A receita somou US$ 38,6 bilhões.

Continuamos a agir em resposta às rápidas mudanças no ambiente de negócios e permanecemos comprometidos com os elementos de nosso plano de transformação, destacou o executivo-chefe da Ford, Alan Mulally. Ele destacou que as operações da empresa na América do Sul e Europa são robustas e lucrativas e que foi observado ímpeto na Ásia. A Ford América do Sul teve lucro de US$ 388 milhões no segundo trimestre e a Ford Europa, US$ 582 milhões.

Os US$ 8 bilhões em fatores extraordinários refletem basicamente despesas associadas com depreciação no valor de ativos na Ford América do Norte (US$ 5,3 bilhões) e Ford Credit (US$ 2,1 bilhões). Por causa da deterioração das condições econômicas, a demanda caiu substancialmente, em particular na América do Norte. Ao mesmo tempo, os preços da commodity e do combustível subiram muito, comentou a empresa.

Como conseqüência, acrescentou, houve uma mudança significativa na preferência por pickups e veículos utilitários esportivos na América do Norte. Isto levou a montadora a rever seus ativos naquela região e o portfólio de leasing da Ford Credit, que levou a despesas não-monetárias antes de impostos.

Para o segundo semestre, a Ford acredita que permanecerá desafiador. Para lidar com esse cenário, a empresa acelerará seu processo de reestruturação na América do Norte e converterá três plantas de pickups e veículos utilitários esportivos na região para a produção de carros pequenos. A primeira conversão começará em dezembro. Também dobrará a produção de motores menores e mais econômicos em termos de combustível.

(Juliana Cardoso | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.