Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ford elogia ajuda e pede acesso à linha de US$ 9 bi

SÃO PAULO - A Ford elogiou nesta sexta-feira a ação do governo dos EUA de oferecer ajuda emergencial à General Motors e à Chrysler e reiterou que não enfrenta um problema de liquidez de curto prazo. A montadora pede ao governo acesso a uma linha de crédito de US$ 9 bilhões em empréstimo-ponte, que serviria como um apoio para o caso de piora das condições. Mas, segundo o presidente-executivo da Ford, Alan Mulally, a montadora espera concluir seu plano de transformação sem precisar acessar esses recursos.

Agência Estado |

"Como dissemos ao Congresso, a Ford está em uma posição diferente. Não enfrentamos um problema de liquidez de curto prazo e não buscamos assistência financeira de curto prazo do governo", afirmou Mulally, em comunicado que elogia a ação do governo dos EUA. "A indústria automotiva dos EUA é altamente interdependente e a quebra de um de nossos rivais teria um efeito que poderia colocar em risco milhões de empregos."

A Ford enviou recentemente ao Congresso um plano de negócios abrangente, em que detalha as medidas da empresa para retornar à lucratividade até 2011. No plano, a Ford explica que a transformação de seus negócios nos EUA se dará por meio de ações agressivas de reestruturação e a introdução de veículos de alta qualidade, segurança e eficientes em uso de combustível.

Sobre o acesso a uma linha de crédito de até US$ 9 bilhões, Mullaly disse que ela "serviria apenas como uma escora crítica ou salvaguarda contra a piora das condições, conforme conduzimos mudanças em nossa companhia". As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: socorro as montadooras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG