SÃO PAULO - O presidente da Ford do Brasil, Marcos de Oliveira, disse hoje que as vendas da montadora no terceiro trimestre, assim como os volumes de toda a indústria automobilística, superaram as expectativas traçadas para o período. Nos três primeiros meses do ano, a participação da Ford no mercado de automóveis e comerciais leves alcançou a marca de 10,96%, superando o market share de 10,1% registrado em 2009, segundo dados da Fenabrave, entidade que representa a distribuição de veículos. As vendas totais de carros de passeio e utilitários no Brasil cresceram 16,88% no primeiro trimestre, para 750,5 mil unidades.

SÃO PAULO - O presidente da Ford do Brasil, Marcos de Oliveira, disse hoje que as vendas da montadora no terceiro trimestre, assim como os volumes de toda a indústria automobilística, superaram as expectativas traçadas para o período. Nos três primeiros meses do ano, a participação da Ford no mercado de automóveis e comerciais leves alcançou a marca de 10,96%, superando o market share de 10,1% registrado em 2009, segundo dados da Fenabrave, entidade que representa a distribuição de veículos. As vendas totais de carros de passeio e utilitários no Brasil cresceram 16,88% no primeiro trimestre, para 750,5 mil unidades. De acordo com Oliveira, o objetivo da montadora é abocanhar mais mercado, mas sem comprometer a rentabilidade do negócio, o que mostra que a Ford não está disposta a sacrificar muito suas margens para conquistar o terceiro posto no ranking das montadoras no Brasil. Atualmente, a fabricante ocupa o quarto lugar nessa lista. "Queremos ganhar mais market share, mas vamos fazer isso de forma financeiramente positiva. Essa é a primeira prioridade", afirmou o executivo durante encontro do presidente mundial da Ford, Alan Mulally, com a imprensa. Mulally está no país para visitar unidades da montadora e discutir o desenvolvimento de novas linhas de produtos aos consumidores brasileiros. Na próxima quinta-feira, ele tem encontro marcado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para apresentar os planos da Ford para os próximos anos. O executivo, no entanto, não informou se apresentará a Lula alguma revisão do plano que prevê R$ 4 bilhões em aportes no Brasil durante o período de 2011 a 2015. Segundo Oliveira - mesmo com as dificuldades no mercado de automóveis dos Estados Unidos, onde está sua matriz - a prioridade da montadora é reinvestir os resultados obtidos no Brasil e Mercosul, ao invés de enviar parte do lucro aos controladores. "A prioridade da Ford tem sido reinvestir na região o que geramos de lucratividade na região", afirmou. A montadora já acumula 24 trimestres seguidos de lucro na América do Sul. (Eduardo Laguna | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.