WASHINGTON - A Ford anunciou nesta quinta-feira que teve um prejuízo de US$ 14,571 bilhões durante 2008, dos quais US$ 5,875 bilhões corresponderam ao último trimestre do ano, mas que não necessita fundos públicos para manter suas operações. Excluindo itens, a perda ficou em US$ 3,27 bilhões, correspondente a US$ 1,37 o papel.

Um ano antes, o prejuízo líquido foi de US$ 2,8 bilhões (US$ 1,33 por ação). No exercício completo, a montadora americana teve prejuízo de US$ 14,571 bilhões.

O resultado refletiu uma forte queda na demanda de veículos. A receita trimestral somou US$ 29,2 bilhões, inferior aos US$ 45,5 bilhões do calendário passado.

"A Ford e toda a indústria automobilística enfrentou uma desaceleração extraordinária em todos os principais mercados globais no quarto trimestre que claramente teve impacto nos resultados", declarou o executivo-chefe da montadora, Alan Mulally.

O executivo avisou que tomou as ações decisivas necessárias para reduzir a produção a fim de coincidir com a demanda mais branda no mundo e para enxugar custos.

Apesar do prejuízo, a Ford comunicou ter "liquidez suficiente" para financiar seu plano de negócios e avalia não precisar de um empréstimo-ponte do governo dos Estados Unidos. Notou que aproveitará as linhas de crédito disponíveis por causa das preocupações com a instabilidade nos mercados de capitais e com o estado da economia.

A companhia disse que em 31 de dezembro de 2008 tinha uma liquidez de US$ 24 bilhões e que acrescentará outros US$ 10,1 bilhões no primeiro trimestre de 2009.

Em nota, a montadora acrescentou que sua divisão de crédito irá cortar 1,2 mil empregos, ou 20% do pessoal no segmento.

(Com informações da EFE e Valor Online)

Leia mais sobre: Lucros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.