A montadora Ford, que ao contrário da Chrysler e da General Motors não recebeu ajuda federal, está em uma situação diferente das concorrentes, afirmou o diretor geral da empresa, Alan Mulally, em uma entrevista ao jornal Detroit Free Press.

"A Ford tem liquidez suficiente para continuar pagando aos terceirizados (...) podemos seguir investindo para o futuro", declarou.

"Quanto ao ambiente econômico, enfrentamos a mesma situação", reconheceu.

"Não temos previsto solicitar um empréstimo ao governo, porque não precisamos. O grau de liberdade que temos para dirigir nossa empresa é muito mais amplo que se nos submetêssemos a restrições, porque o dinheiro vem acompanhado de muitas pressões", declarou na mesma entrevista Bill Ford, presidente do conselho de administração.

O governo dos Estados Unidos intimou GM e Chrysler a apresentar novos planos "viáveis" de reestruturação, caso desejem uma ajuda adicional do Estado. As duas gigantes já receberam 17,4 bilhões de dólares em empréstimos desde dezembro.

A Ford, considerada a montadora em melhor situação entre as três gigantes de Detroit, não pediu ajuda pública, mas registrou em 2008 um prejuízo de US$ 14,6 bilhões, o pior da história da empresa.

jug/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.