SÃO PAULO - A Força Sindical divulgou há pouco uma proposta em que aceita a redução de jornada de trabalho e de salário dos trabalhadores onde reitera a necessidade de garantia de emprego como contrapartida. Denominada de entendimento pelo emprego, o sindicato propõe uma diminuição máxima de 25% na jornada de trabalho e de 15% no salário. Ontem a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) se reuniu com sindicalistas e abriu as discussões em São Paulo.

"Queremos garantir o emprego, mas com mecanismos que já estão na legislação", diz Paulo Pereira da Silva, presidente da Força, em discurso muito similar ao de Paulo Skaf, que reforçou hoje a necessidade de apesar a esse tipo de medida para evitar ainda mais demissões no país.

A proposta da Força prevê ainda a possibilidade de suspensão temporária do contrato de trabalho, desde que a empresa garanta estabilidade pelo dobro do tempo de afastamento do empregado. Ainda neste caso, a empresa complementaria a diferença entre o valor do seguro-desemprego e o salário vigente no afastamento.

Outras alternativas seriam férias ou licenças remuneradas e acumulo ilimitado de horas no banco de horas, com reposição posterior de no máximo 12 horas semanais.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.