O presidente da nova Telebrás, que assumirá a função de gestora do Plano Nacional de Banda Larga, deverá mesmo ser o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna. Segundo uma fonte próxima ao Palácio do Planalto, a escolha de Santanna já foi costurada dentro do governo e o ministro das Comunicações, José Arthur Filardi, já teria assinado um ofício, que será encaminhado ao Conselho de Administração da Telebrás, com a indicação de Santanna para assumir a presidência da estatal no lugar de Jorge da Motta e Silva.

O presidente da nova Telebrás, que assumirá a função de gestora do Plano Nacional de Banda Larga, deverá mesmo ser o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna. Segundo uma fonte próxima ao Palácio do Planalto, a escolha de Santanna já foi costurada dentro do governo e o ministro das Comunicações, José Arthur Filardi, já teria assinado um ofício, que será encaminhado ao Conselho de Administração da Telebrás, com a indicação de Santanna para assumir a presidência da estatal no lugar de Jorge da Motta e Silva. Santanna, que é um dos idealizadores do Plano Nacional de Banda Larga, participou hoje da entrevista coletiva na qual o plano foi divulgado, mas não quis confirmar se seria mesmo o presidente da estatal. A indicação de Santanna confirma a vitória de uma linha mais estatizante do governo, que se opunha à proposta apresentada pelo ex-ministro das Comunicações, Hélio Costa, defensor de uma parceria com as teles e contrário à reativação da Telebrás.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.