A negociação entre TIM e Intelig só deve ser finalizada em meados de abril. De acordo com uma fonte que participa da transação, a Intelig ainda não conseguiu concluir o processo de extinção de uma dívida de US$ 260 milhões com os bancos UBS e Deustche Bank.

O pagamento da dívida foi acertado há duas semanas entre a empresa e as instituições financeiras na 38ª Vara Civil de São Paulo. O equacionamento da questão é ponto primordial para o fechamento do negócio com a TIM.

"O processo está levando mais tempo do que imaginávamos. Os tramites burocráticos para o pagamento da dívida, que deve ser feito em Nova York e na Europa, não são simples. Sem isso, a negociação com a TIM não anda", revela a fonte. O atraso fez com que o presidente da Telecom Italia, Franco Barnabe, cancelasse sua vinda ao Brasil nesta semana. Sua viagem, que tinha por objetivo concretizar a compra da Intelig, não tem data definida para acontecer.

Outros italianos ligados a Telecom Italia já estariam no Brasil. O papel deles aqui seria negociar preços mais "amigáveis" em contratos de uso da rede da Intelig pela TIM enquanto a transação não chega ao fim.

Ainda de acordo com o interlocutor, a Intelig seria absorvida pela TIM por meio de uma troca de ações. "A Intelig está sendo negociada por cerca de R$ 800 milhões, o que lhe daria uma participação pequena na TIM. O controle vai continuar nas mãos dos italianos. Mas como haverá alteração no bloco de controle, a TIM terá de fazer uma Oferta Pública de Ações (OPA)", acrescenta.

A concretização do total do processo, no entanto, já levando em consideração uma possível oferta pública e a anuência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) só deve ocorrer no final deste ano. "O processo será bem longo. Os menos otimistas acham que ele só terminará no início do ano que vem".

Hoje a TIM tem valor de mercado de R$ 7,8 bilhões. A compra da Intelig daria à italiana maior pujança no mercado de transmissão de dados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.