SÃO PAULO - O Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial e a União Européia (UE) irão conceder US$ 25,1 bilhões em empréstimos para a Hungria, abalada pelo tumulto no ambiente financeiro. O Fundo lidera o socorro, com US$ 15,7 bilhões.

A UE entrará com US$ 8,1 bilhões e os US$ 1,3 bilhão restantes serão do Banco Mundial.

Em nota em sua página eletrônica, o FMI comentou que as autoridades húngaras desenvolveram um amplo pacote para restaurar a confiança do investidor e aliviar o estresse experimentado nas semanas recentes nos mercados financeiros da Hungria.

Além disso, acrescentou o organismo, o plano incentivará a estabilidade da economia no curto prazo e melhorará seu potencial de crescimento no longo prazo.

"Continuaremos ajudando as autoridades da Hungria em como adaptar-se à turbulência financeira global atual e conseguir financiamento conforme a necessidade", destacou o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn.

Leia também

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.