A crise financeira global ainda não terminou e mais bancos correm risco de fechar, levando ao possível desaparecimento de instituições de investimento independentes, advertiu ontem o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. O fato de um certo número de bancos nos EUA estar se reestruturando não deve ser motivo de pânico, declarou ele, na esteira do pedido de concordata do banco americano de investimentos Lehman Brothers.

"Mas acontecimentos como esse aumentam as incertezas, e tensões financeiras não podem ser descartadas do cenário de curto prazo."

O diretor-gerente do FMI previu ainda um "setor financeiro global mais estreito" e observou que "alguns players sumirão", especialmente nos EUA, com a possibilidade do desaparecimento gradual de bancos de investimento independentes, como o Lehman.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.