Tamanho do texto

Washington - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, afirmou hoje que o mundo precisa de um estímulo fiscal de US$ 1,2 trilhão para combater a crise e afirmou que a entidade promoverá uma expansão orçamentária coordenada.

O chefe do FMI afirmou que, após a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países mais ricos e os principais emergentes), existe um consenso sobre a necessidade de uma injeção pública de dinheiro e afirmou que deveria chegar a 2% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial, que este ano se estima em US$ 62 trilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.