Mais gastos efetivados pelos governos serão necessários para estimular o crescimento mundial e assegurar que um 2009 ruim não fique ainda pior, afirmou o presidente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn. Ele disse, durante uma entrevista na radio BBC, que a crise atual é a mais grave que o mundo experimentou em cerca de 70 anos e que é necessário ser mais criativo.

Segundo Strauss-Kahn, a queda dos juros em economias desenvolvidas efetivada recentemente já está perto do fim à medida que as taxas caminham para o zero e "este patamar parece não ser o suficiente para a recuperação econômica". Por isso, segundo Kahn, outros instrumentos, como estímulo fiscal, devem ser utilizados.

O executivo afirmou também que ele acredita que existe dinheiro suficiente na economia global mas que os bancos ainda não estão emprestando entre eles. "A principal coisa a fazer neste momento é restaurar a confiança. O homem nas ruas está esperando pela ação do governo", disse. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.