O G-20 Financeiro deve aumentar os esforços para reverter a espiral negativa do mercado financeiro que tem dominado a economia mundial, disse o Fundo Monetário Internacional (FMI). O Fundo disse que os governos devem redobrar os esforços em duas frentes, restaurar a saúde dos setores financeiros e impulsionar a demanda econômica.

"Embora os formuladores da política nas economias avançadas e emergentes tenham adotado medidas de política extraordinárias, ações adicionais de política são necessárias para resolver a crise e estabelecer uma virada durável na atividade econômica", disse o FMI em um relatório apresentado para os vice-ministros de Finanças dos países do G-20 em um encontro realizado em Londres no último final de semana. O encontro foi de preparação do encontro de cúpula dos líderes do G-20 em abril em Londres.

Para o crescimento, o FMI reiterou que será necessário que o estímulo fiscal some 2% do Produto Interno Bruto (PIB) global. O Fundo estima que os planos de estímulos já em vigor ou em andamento somam, na média, cerca de 0,5% do PIB de um país em 2008, 1,4% este ano e 1,3% em 2010. Embora isso fique abaixo da meta, as medidas devem ter um "impacto considerável" nas economias do G-20, acrescentando entre 0,5 a 1,25 ponto porcentual de crescimento.

"O tempo vai dizer se isto é suficiente", disse um funcionário sênior do FMI durante uma teleconferência para discutir o relatório. "Certamente é um bom início e vamos continuar a monitorar a situação". As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.