Diretor-gerente do FMI alertou nesta terça sobre a "lenta" recuperação das economias europeias e pediu maior competitividade

Bucareste - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, alertou nesta terça-feira em Bucareste sobre a "lenta" recuperação das economias europeias e pediu maior competitividade ao continente europeu se não quiser perder o trem das grandes economias mundiais.

"A recuperação ocorre muito rápido na Ásia, enquanto a Europa fica para trás", declarou Strauss-Kahn em discurso no Parlamento da Romênia. "É muito necessária uma aceleração do crescimento", insistiu o diretor, ao advertir que a Europa pode abandonar a corrida entre Estados Unidos e Ásia pela preeminência econômica mundial.

"Queremos ou não ser parte do jogo em 10 ou 20 anos? A Europa pode acabar marginalizada se não aumentar sua competitividade", ressaltou Strauss-Kahn. Durante sua visita-relâmpago à Romênia, Strauss-Kahn se reuniu com o presidente romeno, Traian Basescu, o primeiro-ministro, Emil Boc, e o governador do Banco Nacional, Mugur Isarescu.

O presidente do FMI previu uma recuperação moderada da economia romena, que crescerá 1% neste ano depois de registrar uma recessão de 7% no ano passado. Strauss-Kahn avaliou com as autoridades romenas as consequências do crédito de 13 bilhões de euros contraído pela Romênia com o FMI no ano passado e previu um crescimento do desemprego no país.

"Para levar a Romênia à sustentabilidade fiscal são necessárias medidas dolorosas para a população", afirmou o chefe do FMI. A Romênia recebeu até agora 9 bilhões de euros do crédito contraído em março de 2009. Uma delegação de analistas do FMI analisará no final de abril se o Governo cumpriu os compromissos de austeridade orçamentária e reformas estruturais e se pode continuar recebendo dinheiro do empréstimo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.