O fluxo de veículos nas rodovias com pedágio do País registrou uma queda de 2,4% em janeiro comparativamente a dezembro, apontou o Índice ABCR, calculado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada. Para efeito de comparação, em dezembro de 2008 o índice pleno havia registrado ligeira alta de 0,60%, sendo que a circulação dos veículos leves caiu 0,80% e os pesados despencou 3,70%.

No ano passado, o fluxo de veículos nas rodovias com pedágio do País cresceu 6,1% em relação a 2007.

O fluxo de veículos está associado ao comportamento da atividade econômica, sendo que a movimentação dos pesados reflete em grande parte o desempenho da produção e a dos leves o comportamento da renda do consumidor final.

Para a ABCR, a queda no fluxo dos veículos leves nas estradas pedagiadas do País em janeiro, de 1,50%, pode sinalizar pela primeira vez desde o início da crise financeira internacional, em meados de setembro do ano passado, a desaceleração do mercado de trabalho brasileiro.

De acordo com a economista da Tendências Consultoria Integrada Cláudia Oshiro, responsável pelo cálculo do índice, "a reação do mercado de trabalho é lenta porque demitir custa caro e o empregador precisa de tempo para tomar a decisão." "Por isso, só neste primeiro trimestre esse efeito deverá ser sentido de forma mais evidente e a perspectiva é de que a taxa de desemprego deva aumentar", afirma a economista.

Ainda de acordo com Cláudia, o movimento dos veículos leves, provavelmente, seguirá o comportamento de baixa. "O consumidor está muito cauteloso, tem muito medo dos efeitos da crise em relação ao emprego. Com isso, as pessoas tendem a diminuir o consumo, o que pode levar a um número menor de viagens”, explica Cláudia.

Já o fluxo dos pesados, de acordo com a economista da Tendências, está em queda desde outubro do ano passado. "Porém, espera-se uma retomada para os próximos meses", defende a economista, para quem a indústria automotiva, por exemplo, já mostrou certa recuperação em janeiro e isso poderá elevar a atividade nos setores relacionados à indústria automotiva.

Na comparação com janeiro do ano passado, o Índice ABCR mostrou queda de 0,20%. No período,o fluxo de veículos pesados caiu 9,10% e os leves apresentou alta de 2,40%. Segundo a associação, no acumulado dos últimos 12 meses a circulação geral cresceu 5,50% com os leves tendo entregado no período uma expansão de 6,10% e pesados aumento de 3,80%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.