Tamanho do texto

GENEBRA - A nota da dívida soberana de Portugal foi rebaixada hoje cedo pela agência Fitch Ratings, que considerou que o valor do crédito do país se deteriorou diante de um choque fiscal necessário em meio a fragilidades macroeconômicas e estruturais. Embora Portugal não tenha sido proporcionalmente afetada pela desaceleração global, suas perspectivas de recuperação econômica são mais fracas do que as dos outros 15 países-membros da zona euro, o que pressionará mais as finanças públicas no médio prazo, diz Douglas Renwick, diretor na área de soberanos da Fitch. A Fitch Ratings derrubou a classificação da dívida soberana para AA- , com perspectiva negativa. A revisão reflete baixo desempenho significativo na área orçamentária em 2009.

O déficit do governo foi de 9,3% do Produto Interno Bruto (PIB), comparado à projeção de 6,5% em setembro.

A questão agora é como o governo conseguirá reverter os estímulos fiscais para diminuir o déficit a 3% do PIB até 2013.

A decisão da Fitch vai resultar em crédito mais caro quando Portugal recorrer de novo aos mercados. A situação é mais delicada, no rastro da crise deflagrada na Grécia, com uma dívida gigantesca que exige um plano de socorro que os outros países da zona euro continuam resistindo a aprovar de vez.

Em todo caso, no médio e longo prazos, as necessidades de refinanciamento não são altas, com apenas 5,6 bilhões de títulos vencendo em maio.

Portugal já alvejou salários do setor público, começou a reformar o sistema de aposentadorias, mas o déficit continua inquietando.

(Assis Moreira | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.