Tamanho do texto

Nota de probabilidade de inadimplência foi mantida, porém agência de classificação de risco vê solidez na economia

A agência de classificação de risco Fitch Ratings reiterou a nota de probabilidade de inadimplência do emissor (IDR) soberano de longo prazo em moeda local e estrangeira da economia brasileira em BBB-. Por outro lado, a perspectiva da nota mudou de estável para positiva.

Além disso, a Fitch também manteve o rating IDR de curto prazo em moeda estrangeira em F3, e o teto país em BBB.

Em nota, a agência disse que a revisão da perspectiva “reflete a resistência melhor que a esperada no Brasil e o desempenho econômico em face à recessão global.” Na avaliação da Fitch, a orientação da política econômica não deve mudar nas eleições presidenciais de outubro.

“O Brasil tem resistido muito bem à crise global de crédito e conta com uma das mais rápidas recuperações entre os grandes mercados emergentes”, disse Shelly Shetty, diretora da equipe de ratings soberanos da Fitch na América Latina.

A agência pontua, ainda, que cinco anos de crescimento do PIB brasileiro está em linha com “a média BBB” e a renda per capta do País já é superior a mediana de seus pares. A Fitch espera que a economia brasileira cresça 7% neste ano.

Por outro lado, a agência pontua que o Brasil precisa melhorar a postura fiscal, “para permitir uma melhor combinação das políticas monetária e fiscal, especialmente quando a demanda interna é excessiva, colocando pressão sobre a inflação e levando à deterioração atual da conta corrente”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.