O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), Antonio Evaldo Comune, reduziu ontem de 0,28% para 0,26%, a previsão para a inflação de outubro na capital paulista. Em entrevista à Agência Estado na sede da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), ele disse que o pequeno ajuste para baixo se deve a uma melhor expectativa para o comportamento do grupo Alimentação.

Segundo Comune, o grupo vai cair menos que na terceira quadrissemana de outubro, quando variou -0,72% ante -0,93% da segunda quadrissemana, mas ainda continuará no terreno de deflação. "Eu estava esperando baixa de 0,12% para o fim do mês, mas estou revisando para uma queda de 0,40%."
De acordo com o coordenador, o comportamento dos alimentos, especialmente os semielaborados e in natura, continuará decisivo para impedir que as altas do grupo Habitação e principalmente Transportes puxem a inflação paulistana para cima.

Na terceira medição do mês, o IPC subiu 0,16% ante 0,09% na segunda quadrissemana. O resultado ficou acima do intervalo de expectativas (de 0,06% a 0,15%) coletadas pelo AE Projeções com o mercado financeiro e pôs fim a um processo de desaceleração da inflação que vinha ocorrendo desde agosto.

Para Comune, apesar da pressão, o atual nível de inflação em São Paulo é confortável. Para o acumulado do ano, o coordenador mantém a projeção de 4,2%, mas voltou a indicar viés de baixa. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.