Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fipe eleva previsão do IPC em 2008 para 6,5%

O novo coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Antonio Evaldo Comune, elevou hoje de 6,35% para 6,5% a estimativa de inflação para a capital paulista em 2008. Se confirmada essa previsão, o resultado será bem superior ao verificado em 2007, quando o índice subiu 4,38%.

Agência Estado |

 

De acordo com Comune, a revisão foi motivada pela expectativa maior de inflação para agosto em relação a julho, quando o IPC variou 0,45% e atingiu a menor taxa desde março (0,31%). Outro grande fator para a revisão na projeção do IPC deste ano tem ligação direta com o comportamento dos alimentos nos primeiros sete meses de 2008, em que o grupo acumula alta de 9,43%. Segundo o coordenador do IPC, esta elevação foi determinante para o IPC alcançar a taxa de 4,27% entre janeiro e julho, número bem superior ao de 2,65% dos primeiros sete meses de 2007.

Comune avaliou que havia um espaço pequeno entre agosto e o fim de 2008 para a taxa projetada anteriormente, de 6,35%, acomodar-se. Dessa maneira, ele optou pela modificação para cima. "Quando havíamos projetado os 6,35%, no início de julho, o IPC havia acumulado uma taxa de 3,8% no primeiro semestre deste ano. Depois disso, esse número aumentou um pouco", disse.

Agosto

Para agosto, Comune projeta uma alta de 0,60% no IPC. Segundo ele, este mês terá como principal impacto a captação do reajuste de 8,63% da tarifa de energia elétrica que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou para a Eletropaulo.

Além disso, segundo a Fipe, para este mês não será observado o alívio nas alíquotas de PIS/Pasep e Cofins nas contas dos paulistanos, de maneira diferente da considerada em julho, quando a queda de 2,68% do item Energia elétrica levou o grupo Habitação a uma deflação de 0,09%. "O mês já começa com uma contribuição de 0,20 ponto porcentual vinda do reajuste para a inflação", disse.

De acordo com Comune, um fator de alívio para a inflação de agosto será a manutenção da desaceleração do grupo Alimentação. Para ele, os preços dos alimentos devem pressionar o IPC bem menos que no segundo semestre de 2007, quando os preços do grupo iniciaram um processo forte de alta que durou até meados de 2008.

Leia mais sobre inflação

Leia tudo sobre: inflação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG