CURITIBA - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje que o país terá uma safra com juros mais baixos. Segundo ele, além da preocupação de injetar mais recursos no setor, o governo quer facilitar o acesso dos produtores ao financiamento e agilizar a liberação dos recursos.

Teremos uma safra com juros baixos. A taxa anual do plano agrícola caiu de 8,76% que vigoravam desde 1998, para 6.75% e além disso há taxas diferenciadas de financiamento de até 2 pontos percentuais ao ano, dependendo das condições do produtor.

Para o ministro, com essa medida, o governo cumprirá o objetivo de, daqui para a frente, produzir grandes safras. Segundo ele, o plano também prevê melhores condições de armazenagem, já que a falta de infra-estrutura tem obrigado o agricultor a vender rapidamente a safra para não perder.

Vamos financiar mais para dar capacidade de armazenagem ao produtor e ele ganhar liberdade e flexibilidade de negociação.

Paulo Bernardo participa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva do lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2008/2009, que prevê um volume de crédito de R$ 78 bilhões para o setor. Desse total, R$ 65 bilhões se destinam à agricultura empresarial (agronegócio) e R$ 13 bilhões, à agricultura familiar.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.