Tamanho do texto

As vendas de títulos pelo programa Tesouro Direto apresentaram, em outubro, um crescimento de 50,49% em relação a setembro, totalizando um volume vendido de R$ 141,69 milhões. Em relação a outubro do ano passado (mês de vendas recordes para o programa), o volume de vendas, no entanto, registrou uma queda de 45,31%.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237573758830&_c_=MiGComponente_C

O Programa Tesouro Direto permite que as pessoas físicas comprem títulos públicos pela internet. Segundo dados do Tesouro, a demanda por títulos prefixados (LTN e NTN-F) foi elevada e representou a maior parte das vendas de outubro, de 60,68%. Esses papéis têm rentabilidade definida no momento da compra.

Os títulos indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - NTN-B e NTN-B Principal - ficaram em segundo lugar entre os mais vendidos, com participação de 30,19% do total das vendas. Os títulos indexados à taxa básica de juros (Selic) - LFT - apresentaram participação de 9,13% nas vendas do mês passado.

As vendas de títulos com prazo acima de cinco anos corresponderam a 54,75% do total negociado e os títulos com prazo entre um e cinco anos representaram 42,07% do total vendido. Para o Tesouro, esse quadro reafirma o papel do Tesouro Direto como opção de poupança de médio e longo prazos.

O número total de investidores cadastrados ao fim do mês de outubro atingiu 169.752, o que representa incremento de 22,50% nos últimos 12 meses. O estoque total do Tesouro Direto, que representa os títulos públicos em poder dos investidores, atingiu R$ 3,08 bilhões (redução de 0,18% sobre o mês anterior e incremento de 44,36% sobre outubro de 2008). Em outubro, os títulos remunerados por índices de preços respondem pelo maior volume no estoque, alcançando 46,72%.

Leia mais sobre: Tesouro Direto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.