Publicidade
Publicidade - Super banner
Finanças Pessoais
enhanced by Google
 

Vai viajar para o exterior e precisa comprar dólares? Veja dicas

Especialistas recomendam que turista programe compra de dólares a fim de reduzir efeitos da oscilação do câmbio

Carla Falcão, iG São Paulo |

As oscilações do mercado financeiro e do câmbio não estão tirando o sono apenas dos investidores com recursos em Bolsa. Quem está com viagem marcada para o exterior nas próximas semanas também tem acompanhado com apreensão o desenrolar da crise nos Estados Unidos e na Europa. Diante da alta do dólar nos últimos dias, muitos turistas têm se perguntado se o melhor a fazer é comprar logo a moeda e travar o câmbio – no jargão do mercado – ou se vale a pena esperar uma cotação mais interessante para trocar reais pela moeda americana.

De forma geral, os analistas não recomendam que os turistas adiem a transação. “O ideal é que a pessoa troque os reais por dólares tão logo tenha dinheiro suficiente para bancar os principais custos da viagem”, afirma o educador financeiro Mauro Calil. A recomendação, segundo ele, vale sobretudo para as pessoas que estão com viagens marcadas para os próximos dois ou três meses: “Esperar para comprar dólares é fazer uma aposta de queda que pode não se concretizar”.

MiGCompFotoLinks_C:undefined

Já o professor de administração da FEI, Wilson Pires acredita que, se o valor a ser trocado é muito alto, o viajante deve se garantir e comprar dólares o quanto antes. Mas, se a quantia desejada é pequena, é possível esperar um pouco. “Cada um sabe, de acordo com sua realidade financeira, o que é pouco ou muito. E esse é um dos parâmetros para tomar uma decisão consciente”, afirma.

Com passagens compradas para uma viagem internacional em outubro, a analista de responsabilidade social Cristiane Kanashiro já garantiu os dólares necessários para arcar com a maior parte das despesas do passeio. O planejamento, diz ela, é o segredo para escapar das oscilações do câmbio. “É importante se organizar para viajar com certa antecedência. Foi assim que escolhi a melhor hora, na minha avaliação, para comprar a moeda estrangeira”, afirma.

Em casos como o de Cristiane, que só viaja daqui a três meses, os viajantes têm a opção de parcelar a compra de dólares, avalia Amerson Magalhães, diretor do Easynvest. Na opinião dele, quem se programa para realizar várias trocas em vez de uma só consegue diluir o risco de prejuízo em um mercado tão volátil como o atual.

“É fundamental ter tranquilidade e bom senso. Quando vêem oscilações como as registradas nos últimos dias, as pessoas, em geral, tendem a tomar decisões de maneira precipitada. Esperar não é garantia de sucesso, mas acredito que o mercado tende a se acomodar depois do pânico vivido após o rebaixamento da nota de risco dos Estados Unidos”, afirma.

Se os analistas não são unânimes ao recomendar o melhor momento para trocar reais por dólares, eles concordam em um ponto. O uso do cartão de crédito em viagens internacionais deve ser limitado apenas a emergências e despesas pontuais. Afora a cobrança do IOF (6,38%), o cartão de crédito gera ainda um risco maior de perdas com taxas de câmbio desfavoráveis aos turistas brasileiros. "Como as operadoras levam em conta o câmbio na data de fechamento da fatura, a pessoa pode ter uma surpresa desagradável caso o dólar siga em alta", diz Pires.


 

 

Leia tudo sobre: dólarcâmbioviagensexteriorcartão de créditoturista

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG