Do iniciante ao intermediário em finanças, conheça dez livros recomendados para quem quer aprender a lidar melhor com o dinheiro

Saber cuidar bem do dinheiro requer conhecimento. Há vários caminhos para aprender os macetes das finanças. Um deles é a leitura das obras dedicadas ao ensino das finanças pessoais. Até há poucos anos, livros de investimentos e finanças pessoais eram uma raridade no Brasil. Hoje, há coleções totalmente dedicadas ao tema. Para ajudar na sua navegação por esse mar de letras, o iG avaliou dez livros úteis para quem quer entender melhor os mecanismos de funcionamento do dinheiro.

A lista tem indicações para todos os bolsos e apetites por leitura. Do breve “Como organizar o orçamento familiar”que tem 72 páginas e custa R$ 19,90 até o detalhado “Mercado Financeiro, produtos e serviços”, com suas 864 páginas, por R$ 149,00. As indicações dividem-se entre obras introdutórias e obras intermediárias, que presumem que o leitor tenha um mínimo de conhecimento financeiro _suficiente para não se apertar se tem de ler qualquer jornal ou revista voltados à economia. Não é uma lista definitiva nem completa, mas oferece uma boa introdução às idéias financeiras. Preços e número de páginas foram conseguidos com as editoras ou nas páginas de internet das principais livrarias.

Livros introdutórios

1) "Dinheiro, os segredos de quem tem"
Autor: Gustavo Cerbasi
Editora: Gente
161 páginas, R$ 34,90

Um dos primeiros livros de Gustavo Cerbasi, “Dinheiro...” é uma excelente leitura para quem quer começar a se familiarizar com o mundo da administração financeira e dos investimentos. O livro trata de orçamento, administração do dinheiro e as principais armadilhas do dia a dia. Não traz muitos exemplos práticos, mas é uma boa opção para quem quer começar a entender o tema.

2) "Educação financeira ao alcance de todos"
Autor: José Pio Martins
Editora: Fundamento
104 páginas, R$ 28,60

Um bom livro introdutório para o tema essencial que é o controle do próprio orçamento. O economista Martins usa conceitos contábeis como balanço patrimonial e demonstrativo de resultados para mostrar a necessidade de controlar as despesas e saber gerir o próprio patrimônio. O livro tem a vantagem da brevidade e de um texto conciso e bem-escrito.

3) "Pai Rico Pai Pobre"
Autores: Robert Kiyosaki e Sharon Lechter
Editora: Campus
192 páginas, R$ 49,90

O americano de origem japonesa Robert Kiyosaki é um dos autores mais bem-sucedidos no Brasil. Seu primeiro livro, “Pai Rico Pai Pobre” foi lançado por aqui no ano 2000. Seguiram-se várias outras obras, dedicadas à educação financeira dos filhos, à preparação para a aposentadoria e a investimentos em imóveis e metais preciosos. O autor também preparou versões para jovens e em quadrinhos. O livro de Kiyosaki ensina com clareza um princípio básico das finanças: não confundir ativos com passivos, ou seja, não colocar dinheiro no que não rende (como imóveis para uso) pensando que isso é um investimento. “Pai Rico...”, assim como outras obras de Kiyosaki, tem uma deficiência. Seus abundantes exemplos não são muito úteis para o investidor brasileiro, pois o funcionamento do mercado nos Estados Unidos é bastante diferente do brasileiro. Mesmo assim, vale a leitura.

4) "Aposentado Jovem e Rico"
Autores: Robert Kiyosaki e Sharon Lechter
Editora: Campus
360 páginas, R$ 88,00

A produção da dupla Kiyosaki e Lechter não é muito regular. Alguns de seus livros são melhores do que outros. “Aposentado...” é uma das suas obras de maior qualidade. Trata de um conceito que precisa ser bem entendido por quem tiver a pretensão de ganhar dinheiro investindo, o conceito de alavancagem. Em outras palavras, explica como usar dinheiro de outras pessoas para investir e multiplicar seu próprio capital. Trata-se, basicamente, de aplicar um conceito de administração financeira das empresas à gestão do dinheiro pessoal. O uso correto da alavancagem permite, no dizer dos autores, percorrer a pista de alta velocidade na construção do patrimônio pessoal e aproveitar boas oportunidades que não estariam disponíveis sem acesso a dinheiro dos outros. Também aqui cabe a ressalva: o conceito é impecável, mas os abundantes exemplos dos autores são pouco aplicáveis ao mercado brasileiro, dadas as diferenças entre os produtos financeiros daqui e dos Estados Unidos.

5) "Casais Inteligentes Enriquecem Juntos"
Autor: Gustavo Cerbasi
Editora: Gente
163 páginas, R$ 34,90

“Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na pobreza e na riqueza” é a bem conhecida fórmula das cerimônias de casamento. Para o consultor Gustavo Cerbasi, autor de “Casais Inteligentes...”, a adoção de uma estratégia competente de administração financeira faz com que a pobreza fique limitada ao discurso matrimonial. Cerbasi mostra como uma das principais causas de tensão na vida a dois é o (sem trocadilho) descasamento das visões sobre o dinheiro. O conflito é inevitável quando um dos cônjuges é poupador e o outro não consegue resistir a uma passada no shopping. Para superar esses problemas, Cerbasi discute casos concretos e apresenta exemplos e estratégias de como evitar a turbulência financeira.

6) "Como organizar o orçamento familiar"
Autores: Fábio Gallo Garcia e William Eid Júnior
Editora: Publifolha
72 páginas, R$ 19,90

O livro de Gallo e Eid, ambos professores da Fundação Getulio Vargas, visa orientar as famílias para lidar com o tema sempre potencialmente problemático de organizar as contas. “Como organizar...” ensina, por meio de exemplos práticos, a manter as despesas familiares sob controle, organizar a papelada financeira (extratos bancários, contas pagas e a pagar, boletos, recibos e comprovantes de pagamento) para não se perder no dia-a-dia.

Livros Intermediários

7) "Freakonomics"
Autores: Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner
Editora Campus
360 páginas, R$ 68,00

Apesar de não ser um livro dedicado especificamente às finanças, “Freakonomics”, a contração de duas palavras inglesas, “freak” (absurdo) e “economics” (economia) é uma excelente leitura para quem quer entender como a economia funciona. O livro frequentou as listas de mais vendidos no Brasil e nos Estados Unidos há vários anos, e além de didático é uma leitura bastante agradável.

8) "500 perguntas (e respostas) básicas de Finanças"
Autor: Hugo Azevedo
Editora: Campus
240 páginas, R$ 47,50

O economista Hugo Azevedo conseguiu um feito raro no mercado editorial. Ele estreou não com um livro, mas com dois _além da obra com respostas básicas, ele publicou, simultaneamente, “500 perguntas (e respostas) avançadas de Finanças”. Ambas as obras foram, a princípio, destinadas aos candidatos às provas de certificação no mercado financeiro. No entanto, os livros podem ser lidos também por quem não pretende prestar nenhuma prova, mas quer adquirir conhecimento estruturado sobre finanças. “500 perguntas básicas...” é um livro-texto bastante didático e acessível que oferece uma boa ideia de cada um dos temas tratados.

9) "O valor do amanhã"
Autor: Eduardo Gianetti da Fonseca
Editora: Companhia das Letras
328 páginas, R$ 52,00

Caso raro de livro de não-ficção que se tornou um programa de televisão _a obra rendeu uma série exibida no “Fantástico”_, o livro de Gianetti é uma das melhores reflexões sobre juros e aposentadoria. O livro trata em profundidade da relação entre tempo e dinheiro: de como administrar o conflito entre nosso desejo por satisfação imediata e nossa consciência da necessidade de poupar para o futuro determina o sucesso ou não de nossa vida financeira. Vale a leitura de cada página.

10) "Mercado Financeiro, produtos e serviços"
Autor: Eduardo Fortuna
Editora: Qualitymark
864 páginas, R$ 149,00

Um dos livros mais importantes e tradicionais do mercado brasileiro, a obra de Eduardo Fortuna chegou à 17ª edição e já vendeu mais de 100 000 exemplares, recorde em se tratando de livros de referência. “Mercado Financeiro...” é o melhor manual para quem quer entender o jargão dos investimentos, pois explica detalhadamente quais são e como funcionam todos os investimentos à disposição do brasileiro, dos mais simples aos mais complicados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.