Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) acelerou para 2,72% no primeiro, puxado principalmente pelos alimentos

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) acelerou para 2,72% no primeiro trimestre deste ano, puxado principalmente pelos custos dos alimentos. Em nota, a Fundação Getulio Vargas (FGV), responsável pelo estudo, afirma que a variação nos primeiros três meses do ano constitui uma"forte alta"do indicador.

Para se ter uma ideia, no quatro trimestre de 2009, o indicador tinha ficado em 0,51%. Em 12 meses, o IPC-3i tem variação acumulada de 5,33%. O grupo Alimentação deixou uma queda de 0,51% no último trimestre do ano passado para uma alta de 5,8% nos três primeiros meses de 2010. O tomate foi um dos produtos com alta de preço mais significativa no período, de 61,06%.

Também contribuíram para a aceleração do IPC-3i os ramos Transportes, que deixaram um avanço de 1,76% no último trimestre de 2009 para 3,87% de janeiro a março deste ano, Despesas Diversas (0,38% para 1,88%), Habitação (0,95% para 1,11%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,63% para 0,96%). Com moderação no ritmo de alta, apareceram Educação, Leitura e Recreação, que saíram de 1% para 0,59%. Vale notar que o IPC-3i mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade. (Karin Sato | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.