Publicidade
Publicidade - Super banner
Finanças Pessoais
enhanced by Google
 

Carro zero sobe quase 6% e usado volta a ser atrativo

O fim a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis zero km fez o preço dos carros novos subirem até 5,74% em apenas dois meses. É o que mostra o levantamento realizado pelo Jornal da Tarde com quatro modelos de veículos populares (veja quadro).

AE |

O fim a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis zero km fez o preço dos carros novos subirem até 5,74% em apenas dois meses. É o que mostra o levantamento realizado pelo Jornal da Tarde com quatro modelos de veículos populares (veja quadro). E os valores devem aumentar ainda mais. Tudo porque o preço do aço (extraído do minério de ferro, cotado em bolsas de mercadorias internacionais) está em alta e deve impactar os custos da produção da indústria automobilística. Afinal, a produção da cada carro consome em média uma tonelada de minério de ferro. Com o preço dos automóveis novos mais elevados, os usados voltam a ser atrativos. Eles também ficaram mais caros nos últimos dois meses - porém, numa proporção menor que os novos. A subida de preço ocorreu porque, enquanto vigorava o IPI reduzido para os novos, as revendas tiveram de baixar o valor dos usados de forma artificial, para que eles se tornassem competitivos frente aos zero km. Mas, com a volta das alíquotas, as lojas tiveram a chance de reajustar os valores. "Porém, os preços dos usados, ao contrário dos novos, não devem subir mais a partir de agora. As lojas estão muito estocadas", afirma Ayrton Fontes, da consultoria de varejo automotivo MSantos. Fontes explica que os consumidores que compraram carros novos em 2010 deixaram os automóveis usados nas lojas como parte do pagamento. E como as vendas de zero km bateram recorde este ano - foram emplacados nada menos que 750.500 veículos no primeiro trimestre - é de se imaginar que o estoque atual das revendas esteja realmente alto. "Por isso, o momento é excelente para os consumidores que quiserem adquirir um usado", sinaliza o consultor. As vendas de zero km estão em baixa desde abril, e as lojas precisam compensar as perdas com a desova dos usados que estão no estoque. "O consumidor vai ter muito espaço para barganhar, pechinchar, porque as lojas precisam vender." Vantagens x desvantagens Mas antes de optar pelos usados, convém prestar atenção nos vários critérios que envolvem a decisão da compra de um carro. Sergio Reze, presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), alerta para uma particularidade deste grupo. "Diferentemente do que ocorre com os carros zero km, o preço dos usados varia muito de loja para loja", lembra Reze. "O consumidor pode encontrar o mesmo modelo, do mesmo ano, da mesma cor, por preços muito diferentes. Por isso vale a pena pesquisar." As condições de pagamento também são distintas. Enquanto os veículos novos podem ser financiados em até 80 meses, com relação aos usados o prazo não passa de 60 meses - e na maior parte dos casos o tempo máximo fica em 42 vezes apenas. Os juros dos usados também são mais altos, mostra levantamento realizado pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A média é de 2,05% para usados, 20% a mais que a taxa dos novos (1,7%). Mesmo assim, os juros mais altos não costumam anular a economia feita na compra de um usado, em comparação ao preço do carro novo da mesma categoria (veja simulação acima). Tudo porque as taxas mais salgadas são compensadas pela diferença no preço inicial do veículo - o resultado muda, é claro, se forem considerados carros do mesmo valor. "Financeiramente, a compra do usado compensa", afirma Miguel de Oliveira, vice-presidente da Anefac. Além do valor do carro ser menor, há ainda a economia com o seguro (mais barato) e com o IPVA (que é proporcional ao valor do automóvel). "Porém, há outros aspectos a considerar, como a falta de garantia do fabricante e os custos de manutenção", diz Oliveira.

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG