Adiantamento de 50% da gratificação será feito na folha de pagamento de agosto

selo

O presidente Lula anunciou nesta quinta-feira a antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º salário para os aposentados e pensionistas do INSS. O adiantamento de 50% da gratificação será feito junto com a folha de pagamento de agosto, que é depositada entre os cinco últimos dias úteis do mês e os cinco primeiros dias úteis de setembro. O anúncio foi feito durante visita do presidente ao edifício-sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para conhecer o sistema de monitoramento dos atendimentos, que já está em funcionamento há um ano e meio.

Em discurso de improviso, Lula respondeu a críticas do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, sem citar diretamente seu nome, que tem acusado o governo de aparelhar a máquina do Estado. "Eu estou convencido de que, quanto mais a gente valorizar os servidores de carreira, mais o Brasil ganha. Quanto menos politizar a instituição pública, mais o País ganha", declarou o presidente, lembrando que, desde que assumiu, decidiu em seu governo não mais indicar, por exemplo, políticos para o cargo de embaixador, citando nomeações que fez de funcionários de carreira para dirigir instituições públicas, como Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Lula aproveitou para responder as críticas com relação ao déficit da previdência, citando que os R$ 47 bilhões de déficit representam um déficit contábil. Mas avisou que, do ponto de vista prático, se comparar quem paga e quem recebe, a previdência não é deficitária. O presidente prosseguiu dizendo que foi o Congresso que decidiu corretamente na Constituinte que trabalhadores rurais e idosos que não contribuíram com a previdência têm direito a receber aposentadoria. "Não podemos jogar isso nas costas da Previdência. Isso tem de estar no caixa de todo o governo", disse.

O presidente ainda citou ações do seu governo, como aumento do salário mínimo e antecipação da data-base dos aposentados para dizer que tudo isso foi feito sem que o País quebrasse. "Provamos que muitas coisas que se falou que precisavam ser feitas, puderam ser feitas sem seguir a teoria de que era preciso primeiro deixar aumentar o bolo para depois distribuí-lo", disse. Segundo ele, enquanto vigorava essa ideia de que precisava aumentar o bolo para depois dividir, "um bando de espertos veio e comeu o bolo. Nós queremos que o povo coma o bolo enquanto ele está quente".

O presidente lembrou que, daqui a quatro meses, deixará o governo e afirmou que leva uma vantagem sobre os outros presidentes, "porque quando pensam que são muito sabidos não querem nem ouvir o que os outros falam". "O dado concreto é que nós acabamos com as filas (do INSS). Hoje não tem ninguém ganhando dinheiro em fila. Nós fizemos uma reviravolta da civilização. Os benefícios ao segurado mudaram muito, mas mudou de cinco anos para cá", disse, convocando cada um dos presentes para que façam um teste para verificar o funcionamento do serviço 135.

Lula ainda disse que os jornais deixaram de noticiar e acompanhar o sofrimento das pessoas nas filas. "Procurem ver se na Alemanha, França, nos países do primeiro mundo, se dirijam a ele e vejam se eles têm um tratamento digno como neste País. Não têm", completou.

Em seguida, ele disse que tanto quem está no interior como numa cidade grande pode acessar da mesma forma os benefícios. "Vocês acham que isso seria possível se não fosse um presidente metalúrgico", declarou o presidente, comentando que se interessou pelo assunto porque trabalhou em sindicato e viu o sofrimento das pessoas na busca por seus benefícios.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.