A emenda foi aprovada simbolicamente e contou com o apoio da unanimidade dos deputados presentes à sessão da Casa

Agência Brasil

A emenda foi apresentada pelo DEM na comissão especial que analisou a M
Thinkstock/Getty Images
A emenda foi apresentada pelo DEM na comissão especial que analisou a M

A Câmara dos Deputados aprovou, há pouco, emenda à Medida Provisória (MP) 656, reajustando os valores da tabela do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) em 6,5% a partir do ano que vem. A emenda foi aprovada simbolicamente e contou com o apoio da unanimidade dos deputados presentes à sessão da Casa. Todos os líderes, exceto o do governo, encaminharam pela aprovação da correção da tabela.

A emenda foi apresentada pelo DEM na comissão especial que analisou a MP, mas o relator da matéria, senador Romero Jucá (PMDB-RR), rejeitou a proposta que foi aprovada na tarde de hoje pelos deputados. Ela estabelece que quem tiver renda até R$ 1 903,98 estará isento da cobrança do Imposto de Renda (IR).

Leia mais: Sonha em pagar menos IR em 2015? Ainda dá tempo 

A MP 656 contendo o reajuste na tabela do IRPF será encaminhada agora à apreciação do Senado Federal. Ela foi aprovada na madrugada de hoje (17), mas com a falta de quórum a votação da emenda da correção do IR não pode ser apreciada na ocasião. A MP faz várias mudanças na legislação tributária federal, prorroga incentivos tributários e facilita o crédito consignado na iniciativa privada, além de estabelecer um novo regime de tributação para as bebidas frias.

Pela emenda aprovada a nova tabela do IRPF é a seguinte:

Base de cálculo    Alíquota % Parcela a deduzir do IR
Até R$ 1.903,98 
De R$ 1903,99 a  R$ 2.853,44          7,5                               R$ 142,80
De R$ 2.853,45 a R$ 3.804,64           15                               R$ 356,81
De R$ 3.804,65 a R$ 4.753,96         22,5                              R$ 642,15
Acima de R$ 4.753,96                       27,5                              R$ 879,85

MAIS: Veja como pagar menos Imposto de Renda


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.