Tamanho do texto

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje que o governo estuda alternativas para melhorar a governança dos aeroportos brasileiros e garantir a efetivação mais rápida dos investimentos no setor aéreo. Bernardo participou de reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e o presidente da Infraero, Murilo Barboza.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561646693&_c_=MiGComponente_C

Segundo Bernardo, o BNDES e a Infraero fizeram um estudo com um diagnóstico sobre a situação do setor aéreo. Mas o ministro não quis detalhar o teor do documento, dizendo apenas que o ponto nevrálgico da questão aérea é o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Há uma preocupação no governo de que as obras necessárias para atender o tráfego aéreo para a Copa do Mundo, em 2014, e para as Olimpíadas, em 2016, não sofram atrasos. Estes são investimentos de maturação de longo. Segundo uma fonte, já acendeu uma luz amarela no governo em relação aos projetos de reformas dos estádios, que ficarão a cargo dos Estados e do setor privado. A União se comprometeu a abrir uma linha de financiamento do BNDES no valor de R$ 5 bilhões para as obras, mas nenhum projeto foi apresentado ao banco. O prazo final era 1º de março.

Leia mais sobre: aeroportos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.