Como realizar três sonhos: a casa própria, o carro novo e aquela viagem

Por Bárbara Libório - iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Planejamento e disciplina são essenciais para conquistar suas metas; pense duas vezes antes de fazer um financiamento

Comprar um carro novo pode parecer mais fácil, mas nem por isso exige menos planejamento
Agencia Brasil/reprodução
Comprar um carro novo pode parecer mais fácil, mas nem por isso exige menos planejamento

Com o início de um novo ano, costumam vir também novos planos. A casa própria, o carro novo e a viagem dos sonhos estão entre os desejos mais comuns. Para realizá-los, no entanto, é preciso planejamento e disciplina – ainda mais com os ajustes que o governo tem feito na economia nas últimas semanas. O cuidado deve ser ainda maior.

"A primeira coisa que as pessoas precisam saber é quanto esses sonhos custam e se a família e amigos também compartilham desses ideais. Você quer usufruir disso sozinho ou é um plano em conjunto?", ressalta o educador financeiro Reinaldo Domingos.

Para isso, Domingos afirma que é preciso colocar os planos no papel. "Nossas famílias têm, em média, um gasto de 30% em excessos. É preciso colocar esse sonho na mesa, saber quanto ele custa e quanto é preciso poupar", explica. Se a pessoa não tem uma reserva mensal que possa comprometer com isso, é hora de pensar em onde se pode economizar.

"E o essencial: coloque esses sonhos como prioridade. Quando receber o salário, já separe o valor que precisa investir neles", ressalta.

Leia mais: Não consegue guardar dinheiro? Veja 12 dicas para virar investidor em 2015

VEJA NO QUE PENSAR ANTES DE COMPRAR A CASA PRÓPRIA EM 2015

Para o advogado especialista em direito patrimonial, Ronaldo Gotlib, antes de pensar em financiar 100% do valor da casa própria, é preciso pensar em quanto tempo você pretende morar no imóvel. "Muitos casais que estão começando uma vida juntos se sentem atraídos por essa opção e financiam o imóvel em 30 anos. Mas será que daqui 30 anos eles querem estar morando naquele lugar?", questiona. 

Comprar um imóvel pensando em repassá-lo anos depois também não é uma boa ideia, diz o especialista. O ideal, segundo Gotlib, é ter ao menos 50% do valor do bem para dar de entrada, mesmo que isso signifique pagar aluguel por mais tempo. "Assim, você financia os outros 50% em um prazo de dez anos e pode se mudar depois, se quiser."

Também é preciso pensar nos gastos que vão além do valor do imóvel. "Tem IPTU, condomínio, a manutenção e, se a casa for nova, tem toda a mobília e as instalações, que podem corresponder a até 30% do valor do imóvel", diz Domingos.

Para Domingos, é preciso lembrar que nem todo plano precisa ser realizado a curto prazo. "Você pode não comprar uma casa em 2015, mas pode se organizar para que isso fique mais próximo para os próximos anos."

Leia mais: Especialistas alertam para risco na compra de cartas contempladas de consórcio

VEJA O QUE ANALISAR PARA COMPRAR UM CARRO NOVO

Comprar um carro novo pode parecer mais fácil, mas nem por isso exige menos planejamento. "As pessoas costumam adquirir veículos de modo financiado por impulso, em feirões de final de ano ou impulsionados pela redução do IPI, mas é preciso pensar se tudo cabe no seu orçamento", diz Gotlib.

Segundo Domingos, além do valor do carro, e da prestação, se ele for financiado, os gastos com manutenção - seguro, mecânica, IPVA, entre outros – correspondem mensalmente a 2% do valor do automóvel.

Além disso, o comprador corre o risco do bem valer muito pouco quando terminar de pagar o financiamento. "A cada ano, o automóvel tem depreciação de 20%. Seu carro pode valer muito menos daqui a 60 meses", afirma Gotlib.

Leia mais: Preocupados em poupar, brasileiros fazem previdência privada crescer

DÁ PARA FAZER A VIAGEM DOS SONHOS EM 2015?

Aquela viagem dos sonhos pode acontecer no próximo ano. Mas, para isso, é preciso começar a se planejar desde já.

"Caso vá pagar parcelado, comece a pagar agora. Até lá, faça uma poupança e tenha uma reserva. Quando estamos viajando, a guarda baixa para a sedução das compras, explica Gotlib.

Segundo Domingos, o ideal é guardar pelo menos 40% do valor da viagem para os gastos que terá durante as férias. 

No caso de viagens internacionais, é preciso pensar na compra de moeda estrangeira. Para Gotlib, o ideal é comprar a moeda mês a mês. "Se você precisa de US$ 1 mil, compre US$ 100 por mês. Se a cotação estiver baixa naquele mês e você puder comprar mais, compre", diz.

Veja também:

Calculadora dos sonhos: descubra em quanto tempo você pode realizá-los



Leia tudo sobre: finanças pessoaisinvestimentoscasa própriacarrosviagenseconomia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas