Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Filipinas teme perda de 60 mil empregos com fechamento da Intel

Até 60 mil vagas de trabalho podem ser fechadas no setor de eletrônica das Filipinas depois que a Intel Corp fechou uma fábrica local e a Texas Instruments Inc anunciou demissões, de acordo com a Secretaria de Trabalho do país. A indústria de semicondutores começou a sentir os efeitos (da crise) há três meses, afirmou o secretário de Trabalho filipino, Marianito Roque, à rede de TV ABS-CBN.

Agência Estado |

Segundo ele, o governo está dando suporte e realizando programas de treinamento para cerca de 60 mil trabalhadores do setor que podem ser afetados por demissões. Unidades industriais que empregam 19 mil pessoas reduziram turnos ou horas de trabalho, mas o ministro não soube dizer quantos já perderam seus empregos. O setor de eletrônica é responsável por cerca de 70% das exportações das Filipinas e emprega 480 mil pessoas.

A Intel, maior fabricante de chips para computadores do mundo, anunciou ontem planos de fechar fábricas na Malásia, Estados Unidos e Filipinas, onde 1.800 pessoas serão demitidas de uma unidade de testes de montagem na província de Cavite, sul do país. A Texas Instruments, outra grande do setor, avisou o governo filipino em dezembro que demitiria 400 trabalhadores de sua unidade de semicondutores na cidade de Baguio, no norte, por causa da crise financeira.

Os cortes jogam luz sobre a complicada situação da indústria de eletrônicos e aumentam os temores que este seja apenas o início de uma onda de demissões no setor. "O impacto da retração da economia sobre nossos negócios foi mais severo do que antecipávamos e o cenário é incerto", afirmou a Intel Filipinas em um comunicado que explicava o fechamento da fábrica.

A companhia já foi um dos grandes exportadores do país e uma das primeiras a instalar uma fábrica de semicondutores ali, 35 anos atrás. Desde então, foram investidos US$ 1 bilhão no país, de acordo com informações do site da empresa. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG