Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fiesta recebe nova dianteira e melhorias internas

Durante o evento de lançamento da linha 2011 do Fiesta, em que o modelo mais vendido da marca recebeu nova dianteira e melhorias internas, o Jornal do Carro conversou com a gerente de Marketing Lucíola Almeida. Pós-graduada em Marketing e Gestão de Negócios, ela está no time da Ford desde 1992.

AE |

Durante o evento de lançamento da linha 2011 do Fiesta, em que o modelo mais vendido da marca recebeu nova dianteira e melhorias internas, o Jornal do Carro conversou com a gerente de Marketing Lucíola Almeida. Pós-graduada em Marketing e Gestão de Negócios, ela está no time da Ford desde 1992. Nesta entrevista ela revela o perfil do comprador de Fiesta, comenta as mudanças do carro e também fala do sucesso do Ka. Qual o rendimento médio da família que compra o Fiesta? Por nossas pesquisas, está entre R$ 4 mil e R$ 5 mil. Esse comprador consegue fazer o seguro do carro? E onde realiza a manutenção inicial? Em regra, sim. Até porque existe a possibilidade de embutir o seguro no financiamento do carro. O cliente do Fiesta também leva o carro às concessionárias para as revisões da garantia. Para a Ford, quais são os concorrentes diretos do Fiesta? Os principais do hatch são Volkswagen Gol, Fiat Palio ELX e Chevrolet Corsa. Para o sedã são o Fiat Siena, o Volkswagen Voyage e também o Corsa. Hoje, para ter vidros elétricos dianteiros de fábrica no Fiesta é preciso gastar R$ 1,7 mil (o comprador tem de levar limpador traseiro, desembaçador e outros itens). Essa política não serve para favorecer o concessionário, que instala só o acionamento dos vidros? Os kits também têm a vantagem de equipar mais o carro por um bom preço. Hoje é possível instalar air bags e freios ABS em qualquer Fiesta com R$ 2 mil. Então, por que não oferecer somente vidros elétricos? De fato, o comprador tem essa opção de instalar o item dentro da revenda. Assim que chegou a nova geração do Ka, surgiu uma legião de "viúvas" do modelo antigo, gente fanática pela originalidade do projeto original. A Ford teve de lidar com isso? O Ka antigo foi mesmo um ícone de estilo, mas já não era novidade. E, dentro de seu mercado, o novo carro foi aceito por ter porta-malas maior e mais espaço. Ele terá versão quatro-portas? Esse carro hoje concorreria com o Fiesta renovado. Ele não está nos planos da Ford (nesse ponto, Lucíola não deixa claro se o carro não virá neste ano ou em médio prazo).

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG