Tamanho do texto

A Fibria, empresa de papel e celulose constituída da união entre Votorantim Celulose e Papel e Aracruz, anunciou hoje um prejuízo líquido de R$ 150 milhões no quarto trimestre de 2009, ante um resultado pro forma também negativo de R$ 968 milhões no mesmo período de 2008. No ano, a empresa teve lucro líquido de R$ 558 milhões, comparado ao prejuízo de R$ 1,310 bilhão em 2008.

A companhia explica que as informações foram reclassificadas para permitir comparabilidade entre os períodos, já que a reestruturação societária foi concluída em 22 de dezembro. Na ocasião, entre outros assuntos, foi aprovada a incorporação da Aracruz pelos acionistas, em assembleia geral extraordinária (AGE). Desde 18 de novembro a Fibria tem suas ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) sob o código FIBR3.

O Ebitda (lucro líquido antes de impostos, juros, depreciação e amortização) é apresentado na forma ajustada (em itens não recorrentes e sem impacto caixa), de R$ 503 milhões no quarto trimestre de 2009. O resultado é 8% menor que o de igual período de 2008. No exercício de 2009, o Ebitda foi de R$ 1,697 bilhão, 23% abaixo do obtido em 2008.

Já a margem Ebitda do quarto trimestre de 2009 ficou em 30%, em linha com o terceiro trimestre, mas 34% abaixo do quarto trimestre de 2008. No ano, a margem Ebitda caiu 9 pontos porcentuais, para 28%.

A receita líquida no último trimestre de 2009 atingiu R$ 1,698 bilhão, um resultado 7% maior que o do mesmo período de 2008. No exercício de 2009, a empresa apurou receita líquida de R$ 6 bilhões, 1% maior que em 2008. O resultado financeiro líquido do trimestre ficou negativo em R$ 67 milhões, ante uma despesa financeira líquida de R$ 4,511 bilhões no quarto trimestre de 2008 - sempre na comparação pro forma, em que a apresentação dos dados foi feita de modo a permitir a comparação entre os períodos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.