A Fiat Automóveis anunciou nesta quinta-feira que a unidade de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, contratará 1 mil novos empregados até o fim de maio. Com as novas contratações, a montadora estima um aumento de 6,5% da produção neste ano, o que representa 190 carros a mais por dia.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561838067&_c_=MiGComponente_C

Um acordo foi firmado pela manhã com o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Igarapé e São Joaquim de Bicas, durante encontro na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

A expectativa é por um ano aquecido. Em um comunicado divulgado pela empresa, o presidente da Fiat, Cledorvino Belini, ressaltou que a projeção de vendas internas na indústria automobilística no primeiro trimestre de 2010 é de cerca de 730 mil unidades, o que representa uma alta de 13,6% sobre o mesmo período de 2009. "Mesmo não repetindo estes mesmos números, o segundo trimestre será bom e os seis meses finais do ano muito bons", confia.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Marcelino da Rocha, considerou positivo a anúncio, mas observou que desde março do ano passado a entidade está alertando para o excesso de horas extras na montadora. Segundo Rocha, a Fiat possui hoje 15 mil empregados diretos na planta de Betim, que opera em três turnos, sendo o último parcialmente. "Os trabalhadores têm cumprido um mínimo de 52 horas semanais", disse.

Rocha ressaltou também que as contratações irão compensar a redução do quadro de funcionários após o agravamento da crise financeira internacional, entre outubro de 2008 e março de 2009, o que classificou como "demissões preventivas". De acordo com a Fiat, o número de admissões é o maior realizado no Brasil neste ano por uma empresa do setor automobilístico.

Leia mais sobre Fiat

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.