O estilo do Palio mudou no ano passado, mas esse não é seu ponto forte. Principalmente na traseira, o visual gerou polêmica e não agradou uma boa parcela dos clientes.

O que faz do Fiat um hatch competitivo é a lista de itens de série e a maciez ao rodar.

Seu acabamento é honesto. Não deixa nada a desejar diante do Corsa e muito pouco na comparação com o Gol. O painel de instrumentos traz um enorme mostrador de temperatura e o marcador de combustível é digital, menos preciso que os analógicos dos concorrentes.

Apesar de ser mais lento que Corsa e Gol, no dia-a-dia das cidades o desempenho do Palio fica a contento. O câmbio não possui engates tão precisos quanto os do Volks, mas não é o responsável pela falta de fôlego do Fiat.

Outro ponto contra o Palio 1.4 é o preço do seguro, cuja cotação média foi de R$ 2.152 em pesquisa do JC. Esse também é um problema do Gol, com apólice cerca de R$ 60 mais cara. O Corsa se sai melhor. As franquias são próximas. Têm média de R$ 1.546 no Fiat, R$ 1.577 para o Chevrolet e R$ 1.697 no Volks.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.