Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Fiat: Brasil ajudará a cumprir metas de 2008

O Brasil e outros mercados internacionais ajudarão a Fiat, maior companhia industrial da Itália por receita, a atingir as metas de 2008, afirmou hoje a montadora. Apesar da fraqueza no crescimento econômico global previsto para o restante do ano, a Fiat disse que continua comprometida em atingir as metas para este ano, contando com a ajuda de mercados externos, como o Brasil, e as medidas que adotou, que incluem aumentos de preços.

Agência Estado |

Para 2008, a Fiat reiterou que prevê receita de cerca de 63 bilhões de euros (US$ 98,77 bilhões) e de 2,4 bilhões de euros a 2,6 bilhões de euros em lucro líquido. A companhia também confirmou as metas para 2009, desde que "não haja nenhuma nova deterioração nos preços dos insumos e nas condições da demanda".

Durante teleconferência com investidores, o presidente-executivo da Fiat, Sergio Marchionne, disse que a companhia enfrenta uma elevação de 950 milhões de euros nos custos de insumos este ano. Ele afirmou, no entanto, que a montadora está compensando esse crescimento com o aumento da eficiência e, em parte, com os reajustes de preços em seus produtos.

Marchionne previu um declínio de 15% no mercado automotivo da Itália este ano, mas disse que os modelos de carros pequenos até agora ajudaram a montadora a aumentar as vendas domésticas e a participação de mercado na Europa Ocidental.

Balanço

A Fiat anunciou alta de 3% no lucro líquido do segundo trimestre deste ano, para 646 milhões de euros (US$ 1,016 bilhão), em comparação aos ganhos obtidos no segundo trimestre de 2007. A companhia atribuiu o resultado ao aumento das vendas de carros, caminhões e máquinas agrícolas. Os números ficaram acima da média das estimativas dos analistas, que era de 630 milhões de euros.

O forte desempenho da CNH, a unidade de máquinas agrícolas e de construção, e da divisão de caminhões Iveco também impulsionaram os ganhos entre abril e junho de 2008. Juntas, essas duas divisões responderam por cerca de 40% do faturamento e por quase metade do lucro operacional do grupo no período.

Na unidade de automóveis, o lucro excluindo itens aumentou de 193 milhões de euros no segundo trimestre de 2007 para 243 milhões de euros este ano. O faturamento da divisão cresceu 14,6%, para 7,77 bilhões de euros, ante 6,78 bilhões de euros um ano antes. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG