Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

FGV: tomate, leite e batata puxam preços no varejo

Rio, 8 - Na análise feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre os produtos do varejo, as altas de preço mais expressivas em março foram registradas em tomate (51,15%); leite tipo longa vida (7,98%); e batata-inglesa (12,31%). As mais expressivas quedas de preço, por sua vez, foram apuradas em álcool combustível (-8,11%); maçã nacional (-12,64%); e gasolina (-0,60%).

AE |

Rio, 8 - Na análise feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre os produtos do varejo, as altas de preço mais expressivas em março foram registradas em tomate (51,15%); leite tipo longa vida (7,98%); e batata-inglesa (12,31%). As mais expressivas quedas de preço, por sua vez, foram apuradas em álcool combustível (-8,11%); maçã nacional (-12,64%); e gasolina (-0,60%). No varejo, o IPC-DI acumula altas de 2,86% no ano e de 5,17% em 12 meses até março, informou a FGV. Hoje, a fundação anunciou o IGP-DI do terceiro mês do ano - sendo que o IPC-DI representa 30% do total do IGP-DI. Ao comentar sobre o cenário da inflação no varejo no mês passado, a FGV informou que a aceleração na taxa do IPC-DI, de fevereiro para março (de 0,68% para 0,86%) foi influenciada principalmente por um cenário de inflação mais intensa nos preços dos alimentos (de 1,16% para 2,60%). Isso porque, nesta classe de despesa, houve acelerações de preços ou término de deflação em produtos importantes, como hortaliças e legumes (de 4,55% para 12,72%); laticínios (de 1,48% para 3,55%); e carnes bovinas (de -1,08% para 0,53%). Das sete classes de despesa usadas para cálculo do indicador, três apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preço, de fevereiro para março. Além de alimentação, é o caso de vestuário (de -0,62% para -0,19%); e de educação, leitura e recreação (de -0,02% para 0,20%). Já os grupos restantes apresentaram desaceleração ou queda de preços, no mesmo período. É o caso de habitação (de 0,33% para 0,26%); saúde e cuidados pessoais (de 0,43% para 0,39%); transportes (de 1,74% para -0,16%); e despesas diversas (de 0,37% para 0,17%).
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG