Rio, 22 - Na análise dos preços dos produtos no varejo, as altas de preços mais expressivas, na segunda prévia do IGP-M de março, divulgada hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), foram apuradas em tomate (31,49%); açúcar refinado (8,92%); e leite tipo longa vida (4,05%). Já as mais significativas quedas de preços foram registradas em maçã nacional (-16,97%); cenoura (-8,15%); e alcatra (-2,26%).

No varejo, o IPC-M acumula elevações de 2,54% no ano e de 4,95% em 12 meses, até a segunda prévia do IGP-M de março - sendo que o IPC-M representa 30% do total do IGP-M.

Segundo a FGV, a desaceleração na taxa do IPC-M, na passagem da segunda prévia do IGP-M de fevereiro para igual prévia do mesmo indicador em março (de 0,80% para 0,64%), foi influenciada principalmente por inflação mais fraca nos preços de transportes (de 2,47% para 0,66%). Este setor foi beneficiado por elevação menos intensa no preço de tarifa de ônibus urbano (de 4,52% para 0,93%), no mesmo período.

Das sete classes de despesa usadas para cálculo do indicador, cinco apresentaram decréscimos em suas taxas de variação de preços, no período. Além de transportes, é o caso de vestuário (de 0,23% para -0,43%); educação, leitura e recreação (de 0,97% para 0,12%); despesas diversas (de 0,37% para 0,15%); e habitação (de 0,29% para 0,27%). Já as duas classes de despesa restantes apresentaram aceleração de preços, no mesmo período. É o caso de alimentação (de 0,93% para 1,55%); e de saúde e cuidados pessoais (de 0,30% para 0,32%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.