Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

FGV: soja faz IGP-DI abandonar deflação em setembro

O grupo soja no atacado, que inclui a soja em grão, o farelo e o óleo de soja, foi o grande destaque do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) do mês passado. Segundo o coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, a trajetória de alta nos preços de itens relacionados à soja representou 50% da aceleração da taxa do IGP-DI, que abandonou a deflação de 0,38% registrada em agosto para apontar alta de 0,36% em setembro.

Agência Estado |

Somente a soja em grão subiu 2,59% no mês passado, após registrar queda de 12,39% em agosto.

Entre os derivados de soja que também avançaram de preço de forma expressiva, ou então perderam força em seu processo deflacionário, estão farelo de soja (de -12,14% para 5,07%); e óleo de soja refinado (de -11,44% para -2,04%). Quadros explicou que esse comportamento decorre de características específicas do mercado de soja. "A soja atualmente está com estoques muito reduzidos, o que diminui a oferta. Ao mesmo tempo a demanda pelo produto segue pressionada", afirmou.

Dólar

A recente disparada na cotação do dólar, devido ao aprofundamento da crise dos mercados internacionais, não afetou de forma expressiva o IGP-DI de setembro. Mas, segundo Quadros, alguns produtos que têm preços cotados em dólar registraram aceleração de preços, refletindo o avanço da moeda norte-americana. É o caso de minério de ferro (de 0,32% para 5,02%); e celulose (de -0,53% para 8,52%).

Entretanto, ele explicou que esses produtos que têm preços diretamente relacionados ao dólar representam apenas 5% do Índice de Preços no Atacado (IPA, que tem participação de 60% do total do IGP-DI). "Não foi um impacto muito expressivo", ressaltou Quadros.

O economista comentou que os efeitos do dólar só serão sentidos de forma significativa na inflação se a atual trajetória de elevação na cotação da moeda norte-americana for sustentável. Isso porque o dólar alto poderia começar a influenciar itens cujos preços estão indiretamente relacionados à moeda norte-americana, como as commodities (matérias-primas negociadas em bolsa), por exemplo. Esses itens têm um peso maior no cálculo do IGP-DI, e representam quase um terço da inflação do setor atacadista.

Projeção

O IGP-DI deste ano pode estar caminhando para uma taxa em torno de 10%, na análise de Quadros. Até setembro, o índice acumula elevação de 11,90% em 12 meses. "Mas acho que, a partir do mês que vem, essa taxa em 12 meses vai desacelerar em um ritmo cada vez mais vagaroso", comentou.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG