Rio, 23 - O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,46% na terceira prévia deste mês, medida até 22 de março, após avançar 0,37% na prévia anterior, apurada até o dia 15 de março, informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa de inflação mais intensa verificada nos preços dos alimentos (de 0,37% para 0,73%) levou à taxa maior do IPC-S.

De acordo com a FGV, nessa classe de despesa foram apuradas elevações de preços mais fortes em frutas (1,83% para 3,72%), hortaliças e legumes (2,42% para 4,13%) e pescados frescos (1,55% para 2,65%), no mesmo período.

Além de Alimentação, outras três classes de despesa, entre as sete que compõem o IPC-S, apresentaram aumento mais intenso de preços, ou deflação mais fraca, no mesmo período. É o caso de Habitação (de 0,33% para 0,36%); Vestuário (de -0,20% para -0,05%); e Despesas Diversas (de 0,16% para 0,37%). Já os grupos restantes registraram desaceleração de preços. É o caso de Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,65% para 0,61%); Educação, Leitura e Recreação (de 0,30% para 0,14%); e Transportes (de 0,58% para 0,36%).

Ao analisar a movimentação de preços entre os produtos, a FGV informou que as mais significativas altas de preço no varejo foram apuradas mamão da Amazônia - papaia (17,56%); manga (27,12%); e aluguel residencial (0,91%). Já as mais significativas quedas de preços foram apuradas em maçã nacional (-22,52%); alcatra (-6,51%); e contra filé (-5,12%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.