Rio, 11 - De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), os preços dos produtos agrícolas no atacado acumulam taxas negativas de 2,31% no ano e de 2,58% em 12 meses, até a primeira prévia do IGP-M de novembro. Já os preços dos produtos industriais no atacado registram quedas acumuladas de 4,82% no ano e de 5,27% em 12 meses, até a primeira prévia de novembro.

Segundo a FGV, na avaliação de preços por produtos, as altas mais expressivas no atacado no âmbito da primeira prévia do IGP-M de novembro foram registradas em cana-de-açúcar ( 8,92%); tomate (14,27%); e suínos (6,51%). Já as mais expressivas quedas de preço no atacado foram apuradas em leite in natura (-7,73%); fios, cabos e condutores elétricos isolados (-17,95%); e carne bovina (-5,09%).

Até a primeira prévia do IGP-M de novembro, o IPA registra quedas acumuladas de 4,15% no ano, e de 4,55% no período de 12 meses. A FGV anunciou hoje a primeira prévia do IGP-M no mês - sendo que o IPA representa 60% do total do indicador.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais acumulam aumentos de 0,87% no ano e de 0,46% em 12 meses até a primeira prévia do IGP-M de novembro. Já os preços dos bens intermediários têm taxas negativas acumuladas de 7,03% no ano e de 8,02% em 12 meses, até a primeira prévia do mês. Por fim, os preços das matérias-primas brutas registram quedas acumuladas de 6,03% no ano e de 5,53% em 12 meses, até a primeira prévia anunciada hoje.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.