Tamanho do texto

Rio, 12 - A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que, entre os produtos pesquisados no varejo, as altas de preço mais expressivas na primeira prévia do IGP-M de abril foram registradas em leite tipo longa vida (7,08%); tomate (9,72%); e pimentão (20,07%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em álcool combustível (-12,81%); manga (-14,10%); e gasolina (-0,74%).

Rio, 12 - A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que, entre os produtos pesquisados no varejo, as altas de preço mais expressivas na primeira prévia do IGP-M de abril foram registradas em leite tipo longa vida (7,08%); tomate (9,72%); e pimentão (20,07%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em álcool combustível (-12,81%); manga (-14,10%); e gasolina (-0,74%). No varejo, o IPC acumula avanços de 3,03% no ano e de 4,85% em 12 meses, até a primeira prévia do IGP-M de abril. A informação foi divulgada pela FGV, que anunciou hoje a primeira prévia do IGP-M desse mês - sendo que IPC representa 30% do total do IGP-M. Segundo a FGV, a desaceleração na taxa do IPC, da primeira prévia do IGP-M de março para igual prévia em abril (de 0,43% para 0,28%) foi influenciada principalmente por um retorno à deflação nos preços de transportes (de 0,60% para -0,63%). Isso porque, nesta classe de despesa, houve fortes quedas nos preços de combustíveis importantes, como álcool combustível (de 3,05% para -12,81%) e gasolina (de 0,95% para -0,74%). Das sete classes de despesa usadas para cálculo do indicador, três apresentaram decréscimos em suas taxas de variação de preços. Além de transportes, é o caso de educação, leitura e recreação (de 0,12% para 0,05%); e de habitação (de 0,35% para 0,25%). Os outros grupos apresentaram aceleração de preços, ou deflação menos intensa. É o caso de alimentação (de 0,96% para 1,01%); vestuário (de -1,28% para -1,04%); saúde e cuidados pessoais (de 0,24% para 0,31%); e despesas diversas (de -0,13% para 0,04%).
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.