Tamanho do texto

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) registrou alta de 0,69% na semana encerrada ontem, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No índice anterior, da semana até 7 de julho, a fundação havia apurado alta de 0,79% para o mesmo índice.

De acordo com a FGV, esta foi a menor taxa de variação registrada pelo índice desde a primeira semana de abril de 2008, quando o IPC-S subiu 0,64%.

Segundo a FGV, a principal contribuição para a desaceleração da taxa de inflação pelo IPC-S partiu de elevações de preços menos intensas em quatro das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice, entre 7 e 15 de julho. É o caso de Despesas Diversas (de 0,40% para 0,36%); Educação, Leitura e Recreação (de 0,30% para 0,27%);Vestuário (de 0,40% para 0,09%); e Alimentação (de 1,93% para 1,56%). Esse último grupo, segundo a FGV, foi destaque absoluto, com desacelerações de preços em 16 dos 21 itens componentes do subgrupo gêneros alimentícios. Entre elas, estão as movimentações de preços em arroz e feijão (de 10,64% para 7,67%), carnes bovinas (de 7,94% para 6,99%) e massas e farinhas (de 1,45% para 0,81%).

Outros dois grupos apresentarem elevação de preços mais intensa, no período. É o caso de Habitação (de 0,30% para 0,36%); e de Transportes (de 0,11% para 0,17%). Já o grupo restante Saúde e Cuidados Pessoais, manteve a mesma taxa de elevação de preços, no período (de 0,59%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.