Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

FGV espera inflação mais branda no varejo nos próximos índices

RIO - A variação do Índice de Preços ao Consumidor - Disponibilidade Interna (IPC-DI), componente do IGP-DI, registrou aceleração entre outubro e novembro, passando de 0,47% para 0,56%. Para o coordenador de Análises Econômicas do Ibre/FGV, Salomão Quadros, o recuo dos preços no atacado sinaliza que nos próximos meses essa redução poderá chegar aos preços do varejo.

Valor Online |

O economista fez questão de frisar que essa tendência de queda não significa que a economia esteja entrando em recessão. Segundo ele, o índice que mais pressionou para a alta do IPC foi o grupo Outros Serviços - responsável por quase toda a aceleração total de 0,09 ponto percentual entre outubro e novembro. No período, o item Outros Serviços pulou de 0,31% para 0,61%. " Não há elevação de serviços em uma fase de recessão, uma vez que eles variam em função do aquecimento da economia " , ressaltou.

Apesar do aquecimento de serviços, o economista vê espaço para um IPC mais brando dentro do próximo IGP-DI. Segundo ele, a maior razão para que isso aconteça está nos alimentos, que subiram 0,99% no varejo em novembro.

" De acordo com os dados obtidos no atacado, é uma questão de tempo para que os efeitos da desaceleração apareçam no IPC " , disse Quadros. O economista citou como exemplo o comportamento dos preços da carne bovina, que subiram 2,61% no varejo no mês passado, embora no atacado tenham caído 2,84%. Quadros lembrou que a queda no atacado é reflexo das menores exportações, já em decorrência do desaquecimento da economia global , o que levou a excesso de oferta no mercado interno.

(Rafael Rosas | Valor Online )

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG