Tamanho do texto

Rio, 23 (AE) - A desaceleração de preços verificada no grupo Alimentação (de 1,34% para 0,88%) levou à taxa menor do IPC-S de até 22 de dezembro, que subiu 0,61%, após registrar aumento de 0,73% no índice anterior, de até 15 de dezembro. Entre os alimentos, foram registradas mudanças expressivas nas movimentações de preços de frutas (de -0,45% para -2,93%) e de adoçantes (de 1,17% para 0,37%).

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), no período, foram apuradas taxas de inflação mais fracas em quatro das sete classes de despesa usadas para cálculo do índice. Além do grupo dos alimentos, houve aumentos de preços menos intensos em Habitação (de 0,51% para 0,44%); Vestuário (de 0,57% para 0,56%); e Educação, Leitura e Recreação (de 0,44% para 0,39%). Os outros grupos apresentaram elevação de preços mais forte. É o caso de Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,62% para 0,71%); Transportes (de 0,39% para 0,57%); e Despesas Diversas (de 0,21% para 0,31%).

Ao analisar a movimentação de preços entre os produtos, no âmbito do IPC-S de até 22 de dezembro, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que as mais significativas altas de preço no varejo foram apuradas em tomate (64,55%); aluguel residencial (0,86%) e tarifa de ônibus urbano (0,65%). Já as mais significativas quedas de preços foram apuradas em limão (-32,16%); feijão carioquinha (-18,49%); e óleo de soja (-4,83%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.